Caixa diminui a taxa de juros e facilita a aquisição da casa nova

Caixa diminui a taxa de juros e facilita a aquisição da casa nova

Após período de baixa, o volume de imóveis vendidos no país cresceu 9,4% no ano passado, na comparação com 2016, segundo levantamento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e do Senai Nacional. Foram vendidas 94.221 unidades em 2017, contra 86.140 unidades de 2016.

A aposta agora é que a nova redução de juros da caixa ajude a impulsionar ainda mais o mercado este ano. As taxas mínimas da caixa passaram de 10,25% ao ano para 9% ao ano, no caso de imóveis do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% ao ano para 10% ao ano para imóveis enquadrados no Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). Além disso, o banco também anunciou o aumento de 50% para 70% da cota de financiamento de imóvel usado.

O Presidente da Caixa Econômica, Nelson Antônio de Souza, acredita que a redução irá facilitar o acesso à casa própria e contribuir para estimular, ajudando na recuperação. Ele garante me nota “O objetivo da redução é oferecer as melhores condições para os nossos clientes, além de contribuir para o aquecimento do mercado imobiliário e suas cadeias produtivas”.

A decisão, segundo o economista, foi acertada uma vez que o cenário econômico está favorável com a queda da Selic, que é taxa básica de juros da economia, para 6,5% ao ano. Além disso, o banco está em um bom momento.

Estão enquadrados no SFH os imóveis residenciais de até R$ 800 mil, para todo o País, exceto para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o limite é de R$ 950 mil. Já os imóveis residenciais acima dos limites do SFH são enquadrados no SFI.

Contudo, Economistas avisam que mesmo com a diminuição da taxa de juros e as demais condições favoráveis, é necessário ter cautela antes de fechar de assumir uma dívida longa. Ele reforça que sempre é importante garantir que o valor das parcelas não compromete mais de 70% da renda mensal.

A Caixa também informou que possui R$ 82,1 bilhões para o crédito habitacional em 2018 e que o banco mantém a liderança no setor, com cerca de 70% das operações para aquisição da casa própria.

 

Fonte:  http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Noticias/Noticia/Default.aspx?newsID=6061